31.10.07

30.10.07

razões da emoção


sou movido pela emoção
subo alto no trampolim da vida e
     [mergulho de cabeça no mar do amor
deixo a maré da paixão me arrastar para
                                                        [o fundo
não sei nadar contra a correnteza
nunca aprendi
não quero aprender nunca
nas ondas do delírio afundo
refundo
no prazer do desejo ascendo
transcendo
renasço
remoço...
e começo um novo ciclo
novas águas
novos desejos
novas paixões
novos mergulhos
sou movido pela emoção porque

a razão impede vôos rasantes



28.10.07

reações

esta bela vai
solidão assenta
coração lamenta

um volver fugaz
solidão ausenta
coração alenta

quando ela jaz
solidão, ementa
coração contenta




27.10.07

contos pessoais



primeiro
eu e tu
     depois ele
          agora nós
   no futuro avós e
eles


(celio sergio, para a mulher e os filhos)







26.10.07

22.10.07



olhos apertados,
aperto em meu peito
aperto de saudade
saudade do teu leito

nostálgicas noites
noites ao teu lado
noites acordadas
olhos apertados

olhos apertados
apertada tu serás
em peito renovado
e de lá não sairás




19.10.07

sina

pobre
coração
imprudente

que fustiga
uma alma
valente

que desperta
um desejo
indecente

que sofre
por viver
afoitamente

e que morre
se fizer
diferente




18.10.07

amor e medo



estou te amando e não percebo,
porque, certo, tenho medo.
estou te amando, sim, concedo,
mas te amando tanto
que nem a mim mesmo
revelo este segredo.


(affonso romano de sant'anna)



passista

teu rebolado
mudou de lado
meu agora destro
coração alado







 

 
não sei se é
dádiva ou castigo,
só sei que é
eterno e antigo
 
 

17.10.07

16.10.07

canção do ex-ilhado

cinco filhos do nordeste
em brasília estão radicados
aqui deixaram pais, amigos
mil amores inconsolados

frederico cunha, o fred
diego, o falcão alado
tiago e oswaldo: dois tito
toty, pequeno invocado

separados por um período
na confraria se encontraram
festa, mulher e bebida
foi o elo perdido achado

tem na confraria da ilha
canibalismo romântico zen
funk é bossa, almabalada
ditos populares, também

tem poeta, cantor, escritor
como sabem do riscado
perto deste quinteto, menino
jackson five é desafinado

a família ficou maior
com a chegada do charuto
sabe o rin-tin-tin e a lassie?
este aqui é mais astuto

eu aqui sou só saudades
coração em banho-maria
não permita deus que eu morra
sem que eu volte à confraria



(de repente um repente muda a vida da gente)



15.10.07

 
sorte no jogo
azar no amor
 de que me serve
sorte no amor
 se o amor é um jogo
e o jogo não é meu forte,
 meu amor?



(paulo leminski)



14.10.07



vi poesia
aos borbotões
nos ramos
de graciliano
nas rosas
de guimarães




13.10.07

melancolia

depois que você se foi
deixei de fazer poemas
meus dias viraram noites
as noites, mil quarentenas

a água do mar secou
perdeu o cheiro a açucena
briguei com o dono do bar
violão calou, pequena

encantos não vejo mais
desprezo divas, sirenas

o sangue sumiu das veias
viver deixou de valer a pena




12.10.07



sinto saudade,
boca escarlate.
mas só quando
o coração bate




11.10.07

jardim da fantasia



teu malmequer, 
bem-me-quer
despetalou 
o nosso affair





amor e sexo
não têm selos
de qualidade
do inmetro




10.10.07

(e)moção


a lua cheia me inspira
também o mar, a moça
amor, liberdade, a vida
planta surgindo na roça
conversa de bar e bebida
um riso depois da troça
mas inspiração maior ainda
com ela não há quem possa
é ver desnuda, querida
tuas lindas coxas grossas



9.10.07




o mundo é mau, seu juvenal!






aladim alado




se eu encontrasse uma lâmpada
se a lâmpada tivesse um gênio
se o gênio relizasse (três) desejos
pediria de volta o primeiro amor,
         o amor penúltimo,
              e os amores do meio






saudade sinto
da cidade,
do absinto



8.10.07



poesia louca e breve...
e leve
é a que me comove...
e move
é a que me serve...
e segue




6.10.07

outro soneto de são luís

em busca de briga na rua da paz
subi a do sol sob chuva e trovão
na praça da alegria chorei de emoção
largo da forca velha tempos atrás

no beco da bosta não passo jamais
sigo sempre reto o canto da viração
pra morrer de sede na do ribeirão?
prensado na prensa eu sou muito mais

rua dos viados, afogados, mocambo...
na tapada ou na grande, salvo engano
notei: quão pequeno meu conhecimento!

nesta ilha, justo numa ilha, fulano
de ruas e becos de nomes estranhos
gritei: liberdade! fim do isolamento




5.10.07

honey baby



meu coração
é do tamanho
da alma de
waly salomão



4.10.07



são luís ilha gazil
da poesia, o alcantil
o amor nasceu aqui
e aqui o amor sumiu
se perdeu numa canção
dizem, no canto da viração
hei de encontrá-lo (o amor),
são luís do maranhão
se a busca for inglória
o amor tiver morrido
que brote da terra outro
ou o mesmo renascido





amor bandido...
quando penso
que esqueci,
sonho contigo




3.10.07

classificados

procura-se um
amor de veneta.
quem tiver, que
me remeta




1.10.07

causa e efeito


vejo, sinto desejo

recuso, dor no peito
beijo, apraz deleito
amo, sigo refeito