7.4.08

 

Como me descobri por inteiro e não procuro mais minha outra metade. Como acredito que Deus, o onipotente, escolheu ser único, portanto, apenas os mortais tolos temem a solidão. Como já comprovei que a solidão é capaz de me lançar num mar de deliciosas aventuras e excitantes incertezas, fazendo com que eu me sinta verdadeiramente vivo...

 

Há noites em que a lua, as estrelas e eu nos bastamos.

 

 

5 comentários:

Anônimo disse...

muito bom.

Esconderijo da Bandys disse...

Eita adorei isso,Marco!! "como me descobri por inteiro, não procuro mais minha metade"! Fantastico.
Você é genial...quer dizer que turbinou as asas...me da uma carona????Rrsrsrsrsr
Beijos

Ana Paula Nogueira disse...

a minha outra metade sou eu mesma. pq sempre brigo comigo mesma quando tento me convecer de q tudo ta certo ou errado.

e estar comigo mesma é o meu melhor momento, pq me encontro várias vezes de várias maneiras e acabo me sentindo muito bem acompanhada... e me calo quando não aguento mais meu tom de voz.

tem dia q a noite me basta tbm... a constelação sorri, a lua faz brincadeiras, a noite reflete meu medo de estar só... porém me faz viver todas as minhas fantasias de uma vez... pq minhas idéias fluem quando não busco mais nada.

Um bjo. vc é o cara!! insano insone que contagia e inspira as mentes q se disfarçam de normais.

Ana Paula Nogueira

paula barros disse...

Estou rindo, ler isso me lembrou algo bem familiar.

Vi disse...

Um dia espero poder escrever um texto desses com conhecimento de causa... Mas, pelo menos, descobrir-se por inteiro também é se lançar num mar de aventuras!